Advertise here

Experiência Erasmus em Varsóvia, Polónia, de Federico


Porque é que decidiste ir para Varsóvia, Polónia?

A minha universidade apenas me permitia estudar em inglês na Grécia e na Europa de Leste. Então, decidi experimentar um país com um clima e costumes muito diferentes dos meus. Estava curioso acerca deste país, por causa da sua história tumultuosa e azarada. Ponderando as cadeiras compatíveis, o custo de vida, a qualidade de vida da cidade e a possibilidade de ver muitas áreas verdes e visitar outros países, distantes do meu, mas perto da Polónia, decidi tentar vir para cá.

Experiência Erasmus em Varsóvia, Polónia, de Federico

Fonte

Quanto dura a bolsa? Quanto dinheiro se recebe como ajuda?

Este é um ponto fraco. Não sei como funcionam as outras universidades mas.. tive de esperar e ainda estou à espera (há mais de 2 meses) de receber o dinheiro. De acordo com o meu contrato deveria receber 230€ por mês, mas em vez de mos darem todos os meses disseram-me que me enviam tudo de uma vez. Estando cá 10 meses deveria receber 2300€, mas afinal é menos. Não percebo porquê...

Como é o ambiente académico em Varsóvia?

Até agora tenho a impressão de que os polacos e os Erasmus vivem em mundos paralelos, que se encontram muito raramente. Existe uma espécie de barreira. É difícil dar-se com os alunos de cá. Talvez porque a carga de trabalho que têm na universidade é muito maior do que a dos Erasmus.

Recomendas a cidade e a Universidade de Varsóvia a outros estudantes?

Arquitectonicamente, a cidade é muito pobre por causa da Segunda Guerra Mundial. É dominada por prédios neutros do estilo comunista que tornam tudo muito cinzento e triste. Tirando isto, no entanto, é muito fácil viver lá e é funcional. Cheia de parques, áreas verdes, estradas largas e arejadas. Os transportes públicos são muito eficientes. É uma cidade grande, mas à escala do homem e oferece muitas possibilidades. Algumas mais fáceis de descobrir, outras menos, mas tantas.

Como é a comida do país?

A cozinha tem tendencialmente mais gordura do que a mediterrânea, mas tendo em conta o clima é uma coisa sensata e necessária. É preciso habituar-se um pouco a mudar de ingredientes e se queremos comer produtos frescos temos de comprá-los no mercado. Sendo uma capital, encontram-se produtos de qualquer lugar e estação. Até agora, tudo o que provei era muito agradável e saboroso.

Experiência Erasmus em Varsóvia, Polónia, de Federico

Fonte

Foi difícil encontrar alojamento em Varsóvia?

Esta é a parte mais difícil. A cidade é grande, e, em teoria, graças aos prédios comunistas deveria haver muitos apartamentos, mas... Encontrar alojamento foi muito frustrante. Há um alguns sites que ajudam a encontrar, mas os que são mesmo bons são em polaco. Por causa da história complicada dos primeiros anos após a independência, a cultura fechou-se um pouco em si mesma e, como consequência, a geração que controla o país não gosta de estrangeiros. No início do ano há um negócio selvagem onde só os polacos se desenrascam. A muita gente não importa disponibilizar casas boas, basta alugá-las e conseguem, porque há muita procura. Aos Erasmus resta ser pacientes e ter sorte. Sem uma pessoa que fale polaco para ajudar torna-se muito difícil encontrar alguma coisa que seja boa.

Quanto custa viver em Varsóvia?

Comida, transportes, entretenimento, álcool, resumidamente, a maioria das despesas do quotidiano não tem um custo excessivo, aliás, é tudo muito acessível. Com cerca de 200-250€ por mês pode-se viver à vontade. Como é óbvio, depende tudo do standard que se procura. Para os alugueres mensais depende. Num dormitório pode-se poupar imenso, se se aluga um apartamento temos de ter em conta que é uma capital (o que, contudo, não aumenta substancialmente o preço) e que aos estrangeiro custa sempre mais.

Como está a correr com a língua? Seguiste algum curso na universidade?

Sempre por causa da pós independência, só se pode falar sem problemas noutras línguas diferentes do polaco com os jovens. A universidade oferece imensos cursos e entre estes há cursos de língua gratuitos. A universidade é muito acolhedora e geralmente funciona muito bem. Há alguns problemas com o sistema informático no início, mas os funcionários são muito disponíveis. As aulas que decidi seguir são estimulantes e estimulam a participação dos estudantes.

Qual é a forma mais barata para chegar a Varsóvia a partir da tua cidade?

O sistema mais barato é o avião com uma companhia low cost. Quando cheguei havia uma rota directa, mas depois cancelaram-na, provavelmente porque um clima assim diferente não era muito atractivo fora do verão. Se fizermos uma escala numa cidade qualquer o preço do bilhete não fica muito alto, é preciso aceitar que temos de passar algum tempo no aeroporto.

Que lugares aconselhas para sair à noite em Varsóvia?

Depende dos gostos. A cidade oferece de tudo. Dos lugares para beber a baixo custo aos sítios com música ao vivo, aos teatros, aos cinemas, às discotecas... Para qualquer tipo de actividade pode-se encontrar o "nível" que se prefere. A ESN organiza constantemente actividades para os estudantes, para o resto basta procurar na internet ou pedir informações a alguém. Passear é muito difícil quando o clima fica muito frio.

E para comer em Varsóvia? Podes falar-nos dos teus lugares preferidos?

Há duas cadeias de restaurantes que oferecem produtos típicos a um bom preço e que são bastante bons. Além destes, há ainda outros lugares como o milkbar para comer pratos locais. Estes são particularmente baratos porque são financiados pelo estado. Eram os antigos refeitórios comunistas que continuam a oferecer comida a preços muito baixos. Tudo o que proponho é típico e bom, mas no interior só se pode perceber alguma coisa quando se conhece o polaco.

Experiência Erasmus em Varsóvia, Polónia, de Federico

Fonte

E lugares culturais que se possam visitar?

Os museus abundam e estão todos situados em lugares acessíveis. As colecções do seu interior não são particularmente brilhantes, mas de qualquer maneira interessantes. Merecem uma visita até porque uma vez por semana são todos grátis. As residências reais nos parques da cidade são um pouco mais distantes, mas muito bonitas, seja pelo lugar, seja pela arquitectura. Há muitas bibliotecas e a maior é mesmo fantástica em todos os sentidos.

Experiência Erasmus em Varsóvia, Polónia, de Federico

Fonte

Experiência Erasmus em Varsóvia, Polónia, de Federico

Fonte

Há algum conselho que queiras dar aos futuros estudantes de Varsóvia?

  • Venham com alguma antecedência para a cidade para conseguirem encontrar alojamento antes que a situação se torne selvagem
  • Se quiserem poupar nunca levantem dinheiro em zloty, mas sempre em euros (infelizmente só o podemos fazer no aeroporto Chopin) e depois troquem-nos nos kantor, estando sempre atentos a quanto vos oferecem pelo câmbio porque, dependendo do sítio, para além das flutuações de mercado, pode ser conveniente ou não. O melhor seria pagar sempre em zloty para que não vos apliquem uma taxa de câmbio desvantajosa, o que acontece até quando se usa o cartão de crédito.
  • Levem roupa apropriada para as baixas temperaturas que encontrarão aqui. Podem também procurá-las aqui indo às lojas grandes que se encontram nos limites da cidade
  • Façam o cartão de estudante o mais rápido possível, porque assim pagam todos os transportes púbicos (os passes são extremamente convenientes) e todas as actividades culturais a metade do preço
  • Habituem-se à ideia de que é raro ver o sol assim que começa o inverno, que apesar de tudo dura um bom bocado

Galeria de fotos



Partilha a tua Experiência Erasmus em Varsóvia!

Se conheces Varsóvia como nativo, viajante ou como estudante de um programa de mobilidade... sobre Varsóvia! Avalia as diferentes características e partilha a tua experiência.

Comentários (0 comentários)



Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!