Advertise here

Fim de semana com a minha portuguesa favorita e a sua família

A minha colega de apartamento convidou-me para passar o fim de semana com ela e com a sua família na sua cidade. Eles já me perguntavam há algum tempo, mas nunca conseguimos marcar um dia. Finalmente, marcamos este fim de semana.

Sexta-feira depois do trabalho eu apanhei o comboio para me encontrar com ela. Ela já tinha ido no dia anterior, porque ela tinha coisas para fazer, mas eu tinha que ficar até sexta-feira por causa do trabalho. Saí mais cedo e comprei um bilhete na estação de comboios. Depois, esperei pelo comboio e de alguma forma tive medo de apanhar o errado. Aqui, eu não ando muitas vezes de comboio, só para trabalhar e regressar, ou seja, da estação final até à estação final. Não obstante, correu tudo bem e eu estive cerca de uma hora e meia no comboio. Observei as paisagens que passavam e aproveitei o sol nos campos e árvores. Quando ouvi o nome da minha estação de chegada, levantei-me e saí do comboio. O meu colega de apartamento já estava à minha espera na gare e fomos diretamente ao supermercado para comprar cereais. Lá, mostrou-me as coisas mais importantes da pequena cidade: o castelo no topo da colina, o pequeno rio, um parque e um café.

weekend-fabourite-portuguese-family-be76

Como já era tarde, fomos para casa jantar. Ela conduziu o carro e já me tinha avisado antes sobre as suas habilidades de condução. Durante todo o caminho, ela desculpou-se pelos solavancos ou por outras coisas. Eu não considero que ela conduza mal, na verdade, guia muito bem. Mas eu tenho que admitir que as estradas não são as melhores, não facilitam. Quando chegámos a casa dela, o seu pequeno cachorro e o cão da sua tia receberam-nos ladrando na cerca. De seguida, entramos na casa e fomos imediatamente recebidos pelos pais dela, conversando alegremente em português. Eu tive mesmo que me concentrar, mas também me senti muito bem vinda desde o primeiro momento. A minha amiga mostrou-me o meu quarto, que eles prepararam, é claro, com cobertores suficientes para eu não congelar. Eu gostei realmente da casa. É grande, lindamente decorada e tem uma lareira. Todos adoraram essa parte, especialmente os gatos. Perguntaram-me se eu gostava de peixe visto que eles tinham feito o típico Bacalhau à Bras. Estava delicioso. A família parece estar sempre de bom humor, eles estavam sempre a contar piadas e a rir e só percebi metade delas. Foi uma noite muito agradável.

Os pais saíram depois com o filho para uma cerimónia na escola e ficámos em casa sozinhas. Eu conheci um dos seus oito gatos. Um adorável gato preto e branco, que tem sempre a cabeça para um lado e não pára de miar. Quando os pais voltaram, bebemos um pouco. Eu não sei como é que isso aconteceu, mas acho que tudo começou com um licor típico de Portugal, que eles me queriam mostrar. Então, nós bebemos Ginjinha em copos de chocolate, mas não os copos normais. Era uma Ginjinha com sabor a chocolate. Depois fomos para castanha e outra bebida destilada. Eram todas deliciosas e deram-nos calor. Quando fui para a cama, não senti frio e nem precisei de nenhum dos meus outros cobertores. Nem imaginas como eu dormi bem. Eu não sei se foi da bebida, da cama grande e confortável ou da calma do campo. Penso ter sido sobretudo o último: não havia aviões, nem carros, nem ambulâncias, nada que fizesse barulho. Simplesmente perfeito.

weekend-fabourite-portuguese-family-08b1

No dia seguinte, depois do pequeno-almoço, saímos todos juntos e a família dela mostrou-me os lugares à volta. Fomos até à Figueira da Foz, primeiro para as montanhas para termos uma boa paisagem sobre a longa praia, e depois para a praia, onde fomos fazer uma curta caminhada. O sol estava a brilhar, mas com o vento continuamente a soprar, ainda estava frio. A praia também ainda estava vazia, sem nadadores, sem surfistas, sem cafés, apenas algumas pessoas a fazer caminhadas como nós. Ao almoço fomos ao Manjar do Marquês, que é bastante conhecido em Portugal. Tem o nome do Marquês de Pombal, que foi o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa depois do grande terramoto e que reconstruiu a área da Baixa de Lisboa. No restaurante comemos peixe e carne com o arroz de tomate típico do restaurante. Delicioso.

weekend-fabourite-portuguese-family-93ad

weekend-fabourite-portuguese-family-3495

weekend-fabourite-portuguese-family-e16a

weekend-fabourite-portuguese-family-3e76

weekend-fabourite-portuguese-family-b35a

Depois, fomos para Tomar, uma cidade agradável no centro de Portugal. Lá fomos visitar o castelo de Tomar, que é muito bonito. Está situado no topo de uma colina e nesta época do ano está cercado de árvores coloridas. Nós comemos alguns crepes no centro de cidade onde também visitámos uma igreja. Quisemos deixar uma nota sobre todas as traduções terrivelmente erradas em vários idiomas, mas não o fizemos. À frente da igreja estava uma espécie de festival das cores. As poucas pessoas da cidade estavam a correr de camisa branca, completamente coloridas e a dançar. Os modelos pareciam apenas pouco motivados e decidimos logo que todos nós poderíamos ter feito aquilo melhor. Mas divertimo-nos.

weekend-fabourite-portuguese-family-0915

weekend-fabourite-portuguese-family-3956

weekend-fabourite-portuguese-family-f6a3

weekend-fabourite-portuguese-family-f967

weekend-fabourite-portuguese-family-9811

weekend-fabourite-portuguese-family-a16d

Antes de o sol se pôr, fomos até à Nazaré para ver a praia e o lugar onde alguém, cujo nome eu esqueci, surfou a grande onda. Naquela época do ano, as ondas não são especialmente altas, então é apenas uma bela praia com uma cidade agradável. À noite, fomos todos comer Pizza, depois de a querermos o dia todo. Em casa, começamos outra degustação de bebidas. Desta vez foi licor de figo e dois tipos de licores de amêndoa. Eu também conheci mais alguns dos muitos gatos. Já esqueci a maioria dos nomes, são demasiados. Todos eles são muito bonitos e a maioria deles também são amáveis e imensamente amados pela família dela. Eles também se dão muito bem com o cão. É um pequeno grupo simpático.

weekend-fabourite-portuguese-family-bb0c

Na manhã seguinte, conheci ainda mais gatos e depois fui passear com a minha amiga. Ela mostrou-me a sua aldeia e fomos dar uma volta com o cão. Nós até encontramos algumas pequenas cabras durante a nossa caminhada. Depois, o pai dela foi fazer turismo e mostrou-nos um velho e abandonado mosteiro, que já tinha começado a ruir. O governo não tinha dinheiro e muito menos interesse em mantê-lo. Mesmo assim, parecia bonito, de alguma forma místico, sem telhado e com todas as plantas a crescer no prédio. Perto há uma igreja, que foi construída como uma memória de uma batalha e uma lenda que é contada sobre o lugar. Eu não me lembro da história completamente, mas alguém lutou contra alguém e eles estavam com medo de não vencerem, pois estavam completamente em desvantagem. Com medo do que os seus inimigos pudessem fazer aos seus filhos e esposas, eles mataram-nos. Milagrosamente, eles venceram a batalha e regressaram às suas casas. No mosteiro, encontraram as suas esposas e filhos vivos e completamente ilesos! Que milagre! A igreja é exatamente a recordação deste evento. De seguida, fomos para os campos de arroz, mas ainda não estavam cultivados.

weekend-fabourite-portuguese-family-a51c

weekend-fabourite-portuguese-family-9e11

A nossa próxima paragem foi a Praia do Osso da Baleia. Aparentemente, encontraram o osso de uma baleia nessa praia e, portanto, deram esse nome. Quando chegámos a um grande estacionamento, estava lá apenas um outro carro estacionado em frente às grandes dunas. Saímos do carro e juntou-se imediatamente a nós um cão. Parecia triste, deitado no chão, e depois deitou-se ao lado do nosso carro. Nós fomos à praia. Quase ninguém estava lá e estava vento. Apesar do sol, parecia muito frio. Quando voltamos para o carro, o cão ainda estava lá deitado e ninguém parecia ser o dono dele. Como os outros dois são como eu, todos nos questionámos se o cão pertencia a alguém ou se tinha sido abandonado. Pensámos em levá-lo connosco mas entretanto vimos pessoas distantes. A minha amiga correu até essas pessoas para perguntar se o cão era delas. E era. Tinham-no perdido e já estavam à procura dele. Como o carro deles era o único que estava no estacionamento, e isso era a única coisa que ele sabia, ele voltou para lá. Ainda de longe, ela chamou-o e de repente ele ficou completamente feliz e correu para a dona. Ela agradeceu-nos por o termos encontrado. Também ficamos felizes por o cão não ter sido abandonado.

weekend-fabourite-portuguese-family-3900

weekend-fabourite-portuguese-family-73b6

weekend-fabourite-portuguese-family-f52d

Quando chegámos a casa, a mãe da minha amiga disse que ela já estava à espera que nós tivessemos levado o cão para casa. Penso que essa é uma das razões pelas quais eu me sinto tão bem junto deles: eles também amam os animais tanto quanto eu e a minha família. Quando eles falam com os seus animais, ou qualquer outro, fazem-no da mesma maneira que eu e a minha família. Porém, eu e a minha amiga temos muito mais em comum e é por isso que nos damos tão bem: estamos sempre cansadas e sempre com frio. Nós amamos chocolate e chá. Somos honestas e dizemos o que pensamos. Neste ponto, tenho que mencionar que ela é a minha melhor amiga aqui. Com quem estou sempre feliz de ver e conversar. Aquela que está sempre lá, quando eu preciso de ajuda. A quem me refiro como "a minha portuguesa favorita", quando estou com outras pessoas. Estou muito feliz por a ter conhecido!

Para o almoço, a mãe dela cozinhou carapau grelhado, especialmente para mim pois eu nunca o tinha provado. É um peixe pequeno, tens de inclinar a cauda e depois tirar a espinha. Come-se com arroz e salada. Muito bom, gostei muito. Eu gostei de tudo o que eles serviram e me mostraram. Mas eles tinham sempre medo que eu não tivesse comido suficiente ou não gostasse. Perguntavam sempre: "Não gostas disso? ", "Queres mais? ", “Queres que eu cozinhe outra coisa? ” E diziam: “Come mais, Nadine, não comeste o suficiente”. E, quando saí de Lisboa, ela preparou-nos comida suficiente por uma semana. Ok, talvez isso seja exagerado, mas parece que sim. Nós tivemos que carregar a bolsa as duas. Depois do almoço, fomos passear com o pai da minha amiga num carro velho, com assentos super confortáveis, mas sem cinto de segurança. Foi um passeio divertido e nós fomos ver as florestas de pinho e eles mostraram-me mais algumas coisas na vizinhança. No resto do dia, desfrutamos o sol no jardim com os dois cães e os muitos gatos. Antes de sairmos, ainda apanhámos algumas laranjas da laranjeira para levarmos connosco. É tão bom, eles têm um grande jardim, com muitas árvores de frutos como laranjas, tangerinas, cerejas e kiwis, muitas frutas, e também todos os tipos de legumes e batatas! Estava tudo lindamente florido tornando o jardim ainda mais bonito.

A única coisa que correu mal no fim de semana foi a viagem de regresso a Lisboa. Fomos à estação de comboios para comprarmos os bilhetes e até o comboio chegar eu queria ir ver o castelo de Pombal. Mas, como no dia anterior houve um acidente com um comboio que danificou os caminhos-de-ferro, eles não conseguiram garantir-nos um comboio, nem assentos, nem o horário a que o comboio chegava. Então, tivemos que esperar o tempo todo na estação, porque o nosso bilhete só era válido para o primeiro a chegar. Felizmente, o comboio chegou em menos de uma hora e, como ainda não estava totalmente cheio, nós tivemos assentos onde nos sentarmos.

weekend-fabourite-portuguese-family-133d

weekend-fabourite-portuguese-family-6d89

weekend-fabourite-portuguese-family-4769

Para mim, foi um fim de semana incrível, com muito sol, lugares interessantes, comida deliciosa, pessoas muito simpáticas e muita diversão. Eu gostei muito e estou feliz por ter uma amiga tão boa aqui. Ela é verdadeiramente a minha portuguesa favorita. Como sei que ela está a ler isto: Obrigado por tudo! Também para os teus pais. Diz-lhes novamente o quanto eu amei o fim de semana e a comida, mesmo que eles duvidassem disso às vezes. Eu já estou ansiosa por te receber na Alemanha e mostrar-te tudo.


Galeria de fotos



Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!

Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!