Advertise here

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais. Quando estás a fazer Erasmus e os teus pais se podem dar ao luxo de te visitar, eles vão certamente fazê-lo. É sempre bom ter uma desculpa para ir de férias e o que é que é melhor do que dizer: “A nossa filha estuda em Paris, vou visitá-la. "? Nada! Então, entra no comboio ou no autocarro e vai visitar os teus filhos. Eles vão ficar felizes ao mostrar-vos a cidade "deles" e as suas novas vidas. Pelo menos esse foi o meu caso com os meus pais.

O meu pai nunca esteve em Paris antes e a minha mãe tinha 18 anos quando lá foi, por isso ela também estava curiosa para ver as alterações. É perto e fácil chegar a Paris de comboio a partir de Munique, pelo que não havia desculpas para eles não me virem visitar em novembro. Os meus pais apenas podem ir de férias nos feriados alemães, o que não correspondia às minhas férias em França, então, infelizmente, tive aulas durante esse período. Porém, não foram muitas e as que tinha não eram muito importantes, por isso faltei às aulas para passar mais tempo com os meus pais. Eles chegaram num domingo maravilhoso de sol e eu esperei por eles na estação de comboios. Tinham sido dias ensolarados naquela semana inteira e naquele dia estava perto de 20 graus. Em novembro, imagina! Nós apanhámos um táxi para o hotel deles, que eles nos tinham reservado e que estava situado mesmo ao lado do meu apartamento. Foram apenas cinco minutos a pé. Primeiro eles quiseram ver o meu apartamento, é claro, e ver como eu vivia. Eles ficaram satisfeitos, mas apenas regressaram mais uma vez, talvez por eu morar no sexto andar sem elevador.

Naquela altura, eu já conhecia Paris e queria mostrar-lhes tudo e contar-lhes o que eu sabia, o que na verdade era muito. Como o tempo estava bom, nós queríamos aproveitar e, como no primeiro domingo do mês algumas atrações são grátis, subimos o Arco do Triunfo (já era a minha quarta vez e eu voltaria a fazer isso de novo e de novo) para ver Paris lá de cima. A vista não foi tão boa quanto esperávamos, porque o sol estava muito luminoso e não conseguimos ver nada. De seguida, descemos os Campos Elísios até aos Jardins das Tulherias, onde fomos ver as pinturas de Monet na Orangerie, que também era gratuita naquele dia, juntamente com outra exposição. Eu amei as pinturas de Monet, eram realmente impressionantes e não me tinha apercebido antes de quão grandes elas eram.

Uma semana em Paris com os meus pais

Depois, comemos os obrigatórios crepes e bebemos Sidra num pequeno e encantador Café no Jardim das Tulherias. Seguidamente, fomos ver o Louvre, mas apenas o lado de fora, porque o tempo estava bom demais para entrarmos. À noite, encontramos um bom restaurante, onde comemos uma comida deliciosa: tártaro de salmão ou cordeiro e crème brûlée, coisas típicas.

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

No dia seguinte, eu ainda não tinha aulas (estudante Erasmus sortuda, sem aulas à segunda-feira), então fomos para Montmartre e Scaré Coeur, que é um dos meus lugares prediletos. A igreja é linda, a área da cidade também e, normalmente, tens uma vista muito boa para a cidade, excepto a Torre Eiffel, que fica na outra direção.

Uma semana em Paris com os meus pais

Nos dias seguintes, tive de ir às aulas, mas apesar disso consegui encontrar os meus pais todos os dias para tomarmos juntos o pequeno-almoço e jantar com eles depois das aulas, à excepção de um dia em que tive que estudar. Descobrimos muitas coisas que eu não tinha visto antes, porque o meu pai é ainda mais organizado do que eu e então procurou tudo com antecedência. Por exemplo, fomos ao Cemitério de Montmartre ao túmulo de Heinrich Heine (poeta alemão), ao Palais Royal, à Praça des Vosges, tal como ao terraço das Galéries Lafayette e algumas pequenas e atraentes corredores de lojas. O meu pai parecia conhecer Paris melhor do que eu, sem nunca ter estado aqui antes. Ele deve ter lido cada livro ou artigos de blogues sobre Paris. Sempre que chegávamos a algum lugar novo, ele dizia que isto é aquilo, e aquela rua e aquilo e aquele prédio, e eu pensava: "Sim, é verdade", mas eu já sabia aquilo, porque já estou aqui há dois meses. Porém, às vezes eu não sabia aquilo, ou tinha perdido completamente o meu sentido de orientação e estava a questionar-me onde é que estávamos ou então perguntávamos: “Oh, que edifício bonito é este? ". E o meu pai sabia sempre.

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Uma semana em Paris com os meus pais

Os meus pais pareciam estar com medo que eu não estivesse a comer o suficiente, quando eles não estavam lá. Eles estavam sempre a perguntar: “Precisas de alguma coisa? ", "Queres alguma coisa? ", "Tens a certeza de que não precisas/queres nada? ", "Vai e come o menu inteiro, para que não morras de fome". No último dia que eles lá estiveram, fomos todos às compras e eles compraram muitas coisas para mim. Agora, vou ter que ver como consigo comer tudo antes que se estrague. Pelo menos, eles ajudaram-me a levar as coisas pelos seis andares. Aos meus pais: obrigada! É tão gentil da parte deles preocuparem-se comigo, mas eu sou capaz de cozinhar a minha própria comida e vão ver que eu não vou morrer à fome. Eu tenho que ficar em forma mesmo assim, para subir todas as escadas para o meu quarto; -)

Foi uma semana boa, mas cansativa. Nós andamos muito, mas como em Paris podes ir a pé a qualquer lugar, isto é, se tiveres tempo suficiente, é melhor do que ires de metro, pois poderás ver muito mais. Eu queria mostrar o máximo de coisas possíveis aos meus pais mas eles iam ficar apenas durante uma semana, então tínhamos o tempo preenchido. Os meus pais andaram muito mais sem mim, quando eu estava "a relaxar", pelo menos fisicamente, na universidade. A minha mãe disse-me que agora ela precisa de férias. Entendo-a perfeitamente...

Barreiras linguísticas

Tenho que admitir que estou muito orgulhosa dos meus pais e de como eles falam francês sem nunca terem aprendido. Ambos se interessam muito por outras culturas e têm uma mente aberta. Durante as férias, era frequente perguntarem-me como é que se pergunta ou se diz algo no idioma francês. A minha mãe gosta de pedir um Shandy e sabe como evitar o problema do artigo feminino e masculino. Se ela não souber se é une (uma) ou un (um) panaché, ela pede deux (dois), o que significa que um de nós vai ter de beber outro. Eles também conseguem pedir uma mesa ou a conta. Um dia, fiquei muito surpreendida: o empregado perguntou algo ao meu pai, que eu não consegui entender porque estava demasiado barulho. Eu só lhe queria pedir para ele repetir, mas o meu pai já lhe tinha respondido. Quando o empregado saiu, eu e a minha mãe perguntamos se ele tinha entendido o que tinha dito, e ele respondeu: “Ele provavelmente perguntou como é que eu quero a minha carne e eu apenas lhe respondi". Fiquei tão orgulhosa!

A despedida

No último dia fomos todos juntos a um mercado e eles abasteceram-me com fruta e pain au chocolat (pães com chocolate) e nós desfrutamos do fantástico tempo. À tarde, acompanhei-os até à estação de comboios e chegou a altura de lhes dizer adeus. Fiquei triste, porque tivemos um tempo maravilhoso juntos e eu gostei de lhes mostrar a "minha" Paris e a minha vida aqui. Espero que eles também tenham gostado. Por outro lado, fiquei feliz por ficar durante mais tempo e ter mais oportunidades para descobrir ainda mais coisas. Fiz alguns amigos incríveis aqui, com quem quero passar mais tempo. Portanto, obrigada pela ótima semana e até breve!


Galeria de fotos



Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!

Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!