Advertise here

A desconhecida Wroclaw

O que é mais provável que aconteça é que quando vires este nome entre todas as cidades destino no Erasmus penses que provavelmente o escreveram mal (espera para ver o resto das palavras polacas). Clica lá, sem qualquer dúvida.

Wroclaw foi o meu destino Erasmus durante o ano académico de 2015/2016 e foi uma das melhores experiências da minha vida. Quando tive de escolher o destino e comecei a pensar nisso em casa, eu tinha imensas dúvidas. Finalmente decidi ir lá, escolher Wroclaw e parar de pensar sobre o que tinha feito. Estava feito e não havia possibilidades de mudar. Eu ia viver na Polónia por 6 meses. Uma nova língua que nunca tinha ouvido e soava muito mais fácil do que na verdade era, uma nova vida, sozinha, longe de casa, da família, dos amigos,... E a coisa mais importante: com mais de 1000 (sim, leste bem, mais de 1000 estudantes Erasmus) que iam estar na mesma situação que eu. Cedo comecei a entrar em contacto com os coordenadores da minha universidade na Polónia (Politechnika Wroclawska) e eu percebi que o inglês não era um problema para eles, o que me aliviou bastante.

De seguida, a cassete vermelha chegou à minha vida calma.

A CASSETE VERMELHA: Learning Agreement, um acordo com equivalências de unidades curriculares entre universidade que vai levar-te à loucura. E a língua? Estava tudo em polaco. Não havia equivalências entre cadeiras, ECTS, horários... Uma confusão. Mas se queres realmente viver a experiência Erasmus, vais fazer o impossível e vais ser bem sucedido de certeza. No meu caso era o meu último ano na universidade, pelo que em Espanha tinha apenas cadeiras opcionais para escolher, e era mais fácil para mim porque podia adaptar o horário com as cadeiras mais interessantes para mim como eu queria. De qualquer maneira, não pensem que foi fácil para mim!

Assim que tive tudo feito, as coisas burocráticas foram aceites em ambos os países. Estava tudo feito, ou pelo menos eu acreditava nisso.

Finalmente o dia chegou, era 13 de Setembro e eu tinha de apanhar o voo. Mais ou menos 3 horas de voo cheia de nervos, a suar e cheia de incertezas: O que me ia acontecer? Será que me ia adaptar à minha nova vida? Será que ia fazer novos amigos? Será que tudo ia ficar bem? Seria tudo como em Espanha? O que faria eu quando chegasse? Muitas questões e nenhuma resposta neste momento.

Aquilo com que te deves preocupar menos é se vais fazer novos amigos. Vou contar-vos uma coisa: até a pessoa menos social vai fazer novos amigos (a minha própria experiência). Têm de pensar que as pessoas estão na mesma situação que tu, tudo é novo para eles também, e no início toda a gente é simpática. Passo a passo vais encontrar os teus colegas e o teu grupo de amigos, sentindo-te mais confortável e tornando-te parte do ambiente Erasmus.

No meu caso, eu tive um grande buddy, uma espécie de colega que me ia mostrar tudo e ajudar-me com todos os assuntos durante o meu período Erasmus. O meu conselho é que se tiverem oportunidade de escolher um buddy, escolham. Alan veio buscar-me ao aeroporto e mostrou-me tudo da cidade, transportes públicos, leis de peões (elas podem mudar bastante consoante o país! ), conselhos sobre onde comer, coisas sobre a universidade... Eu estava muito assustada e o meu inglês estava cheio de porcaria neste momento. Eu estava muito envergonhada e não sabia como escapar. O Alan foi muito amigável o tempo todo e convidámo-lo para jantar connosco, para saber mais sobre o país e sobre os polacos.

O sol estava radiante e um novo dia a chegar. Estava sol (sol esse de que vais sentir falta durante o inverno mas odiar durante a primavera) e tínhamos uma nova cidade por onde andar e para descobrir.

Wroclaw é uma cidade muito bonita, fantástica. Desde o momento em que fomos para o hostel (Pasaz Niepolda, vão saber), o charme da cidade encheu o nosso coração e pudemos lidar com o tempo de verão, as ruas cheias de sol e pessoas, o espírito jovem e a cor da vida lá.

la-desconocida-wroclaw-37aa40c2944c2bdea

Rynek (é como que a praça principal da cidade) tinha uma data de casas coloridas que te fazem querer tomar o pequeno almoço lá todas as manhãs para o resto da tua vida, com o sol, a música da rua e apenas ver as pessoas a andar por ali. Fomos à procura da universidade e dos dormitórios e perdemo-nos. De forma muito simpática, toda a gente a quem perguntámos por informação em inglês, tentou responder-nos em inglês e se não conseguiam, tentaram comunicar connosco de uma forma que pudessemos compreender o que eles queriam dizer. Eu tenho de dizer-vos que pudemos entender um par de senhoras polacas na perfeição: sinais são uma linguagem universal. Tenho também de vos dizer que existem uma espécie de títulos e legendas com os desenhos, vão vê-los por toda a cidade, até na universidade ou no shopping. Vais querer ter alguns deles e continuar a descobrir mais e mais.

la-desconocida-wroclaw-a6a6864127366990a

la-desconocida-wroclaw-15777bff10b70fc8b

Bem, nós chegámos à universidade e eu apaixonei-me, mas chegámos aos dormitórios e nem por isso. Cinco ou seis edifícios comunistas feitos de metal que precisava (mesmo) de uma mudança total num pedaço verde nos subúrbios da cidade.

NÃO permitam iludir-se com as aparências. Eu disse a primeira vez que não ia viver ali e finalmente passei o melhor ano da minha vida. O muito conhecido Tx está cheio de alunos Erasmus não só da Europa, mas do mundo inteiro. As minhas colegas de quarto eram uma rapariga espanhola e uma chinesa durante o primeiro semestre e duas raparigas indianas durante o segundo semestre. Não tenham medo de viver com pessoas de outra cultura.

Relacionado com o assunto da universidade, se tiveres oportunidade de ser um membro da comunidade ESN, não hesitem. É uma espécie de network que organiza viagens, "escapadinhas", atividades, etc, que costumam ser mais baratas do que organizadas por ti próprio ou pelo teu grupo de amigos. Por exemplo, eles organizaram para nós imensas atividades de fim-de-semana como jogos de futebol, skate no gelo, campeonatos de futebol,... E a entrada era mais barata do que indo sozinho.

Tirando as primeiras experiências com a universidade e o dormitório, vou falar da comida: não parem de experimentar novas refeições mesmo que sejam "esquisitos". Os polacos são fãs de couve-flor, beterraba, bróculos cozinhados de todas as maneiras possíveis, mas cozinhados muito bem! Eles adoram queijo e combiná-lo com diferentes molhos. Pratos de peixe são mais difíceis de encontrar, e mais caros também. Tenho de dizer-vos que não conheço ninguém que tenha morrido de fome. A comida mais típica, e mesmo que pareça estranha para vocês, deviam experimentá-la!

la-desconocida-wroclaw-6b9ce47668ef764d1

Ok, eu vou falar disso, eu sei que vocês estão à espera disso. Vou falar-vos sobre as festas! Vão para Wroclaw. É uma cidade grande, cheia de jovens, para além de que é uma das cidades com mais estudantes da Polónia, como Salamanca ou Santiago de Compostela em Espanha (infelizmente não conheço comparações de outros países). Mais, há mais de 1000 estudantes Erasmus que escolhem essa cidade como o seu destino. Ainda estás a pensar sobre isso? Há festas disponíveis 7/7 (7 dias por semana). A sério? Ainda? As bebidas são super baratas e a bebida mais comum é a vodka (a minha recomendação é Zubruwka, se és um verdadeiro amante de vodka, ou Soplica se não és, porque tem muitos sabores, não só o "branco") e cerveja (quase todas as cervejas são boas, mas tenham consciência da percentagem de álcool, porque há cervejas para pessoas sem-abrigo com 14%-15%). Não tens de estar preocupado com esse assunto.

Em relação a viajar: Toda a gente quer fazer viagens durante a experiência Erasmus. A Polónia é próxima um pouco de tudo, e os transportes públicos são baratos e seguros. Tens também a possibilidade de alugar um carro, que não é uma má opção. Uma empresa de autocarro que sugiro é a Polskibus, às vezes as viagens são 0, 25€. No meu caso eu viajei para a Alemanha, por toda a Polónia, Belearus e República Checa. Eu queria ir a mais sítios, mas não tive tempo suficiente. Para se moverem na cidade não vão encontrar grandes problemas a pé, bicicleta, elétrico ou autocarro, há um pouco de tudo durante todo o dia e Wroclaw é uma cidade plana, por isso não terás problemas.

Outro assunto importante é o tempo. Vais viver duas estações diferentes, não quatro: calor infernal e frio. Com calor infernal refiro-me a teres que colocar na tua mochila pelo menos uns calções e muitas t-shirts, porque quando a primavera está a chegar estás a senti-lo, e se não trouxeres contigo essas roupas vais ter de comprá-las lá e trazê-las de volta para o teu país (pensem nisso, eu não o fiz ahaha). Preocupem-se com o frio mas preocupem-se mais com a chuva: Wroclaw é uma cidade do sul da Polónia e a temperatura média do inverno são 0 graus, mas há também dias em que há muito frio. Durante o meu inverno na Polónia apenas 3 ou 4 dias no início de Janeiro a temperatura esteve entre os -17 e os -23. Boa. Não te esqueças de levar contigo o teu melhor casaco de inverno.

As cortinas: Os polacos não sabem o que é uma cortina. Se vais para a Polónia durante o primeiro semestre não prestes atenção a esta secção, continua a ler, mas se vais para o segundo, estás feito se não estiveres habituado a ter o sol a entrar no teu quarto às 4 da manhã. O sol está coberto por nuvens durante a manhã e pelo resto do dia. Boa. Mas vais habituar-te, não te preocupes.

Palavra importante: JUWENALIA.

la-desconocida-wroclaw-acba72f1c0ca09fd9

la-desconocida-wroclaw-f9edfd2e16c2ed2a8

Juwenalia é uma espécie de festival gratuito para estudantes que é celebrado no dormitório Tx durante Maio. O dormitório está cheio de gente, paradas, palcos, atividades, barbecue,... É fantástico, e se vais viver em Wroclaw apenas durante o 1º semestre vais querer voltar para aproveitares o Juwenalia com os teus colegas que continuam a viver lá. para além disso, quando o bom tempo chega o mood de toda a cidade muda, festividades, concertos, todos os terraços dos bares,... E a ilha (Wyspa Slodowa). Vão saber sobre a ilha.

A moeda. Tenho muito prazer em apresentar-vos ao Zloty e a mudança para euros é bastante simples: 1 euro são 4 zloty. Quase tudo é mais barato que em Espanha (Eu penso que seja igual nos restantes países), exceto a fruta. Tenham atenção com a fruta: às vezes a fruta é vendida às unidades, não ao kilo. Eu percebi isso depois de lá estar a viver há 4 meses (Boa, Ana! ).

Eu acho que vocês perceberam que eu escrevi no início do post que eu ia viver na Polónia por apenas 6 meses, mas depois eu disse que vivi lá por 1 ano. Porquê? Não estou a mentir-vos, apenas percebi ao fim de 2 meses que não queria viver lá por 6 meses, mas sim ficar o ano inteiro, e por esta altura, os melhores momentos ainda estão a vir.

Os polacos são normalmente muito amigáveis e simpáticos, mas como em todo o lado há exceções. Eu tenho de vos avisar que há 2 dias por ano em que provavelmente o teu coordenador Erasmus vai enviar-te um e-mail a dizer que há 2 dias por ano em que é perigoso sair e é melhor ficarem em casa. Um destes dias é o dia da Polónia, e o outro foi aleatório, não me lembro da data. Há pessoas, na Polónia e em todo o lado, que são um pouco radicais e durante estes dias ficam malucas. Também durante a minha estadia na Polónia houve um problema com refugiados sírios porque eles tinham de passar a Polónia para chegar à Alemanha, e havia muitas pessoas que não queriam permiti-lo e foram para a rua protestar contra isso. Eu nunca tive nenhum problema com ninguém, nem conheci ninguém que tenha tido.

Eu espero que este último aspeto não vos puxe para trás, vão viver a melhor experiência da vossa vida, vão trazer pessoas e vibes inesquecíveis (eu sinto arrepios na minha pele), conhecer novas culturas, abrir a vossa mente e mais importante de tudo o teu enriquecimento pessoal e espiritual. Saiam da vossa bolha e vivam a aventura porque vocês só vivem Erasmus uma vez.

Se tiverem alguma questão ou quiserem perguntar-me alguma coisa, por favor fiquem com o meu e-mail ([email protected]) e contactem-me. Eu espero que isto seja útil para vocês e que encoraje vários de vocês a ir para Wroclaw!


Galeria de fotos



Content available in other languages

Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!