Advertise here

A vida em Lion - Residência André Allix: O quarto e o edifício

A vida em Lion - Residência André Allix: dicas básicas

Este longo artigo descreve a minha experiência na Résidence André Allix e as razões pelas quais optei por morar aqui. Este texto tem como objetivo destacar as diferenças entre residências universitárias em Inglaterra e França. Então, penso que pode ser útil não apenas para quem procura moradia em Lion, mas também para aqueles que querem ter uma ideia da vida universitária britânica nas residências universitárias de lá.

A vida em Lion - Residência André Allix: O quarto e o edifício

Fonte

Eu realmente sinto muito, porque este artigo, como disse antes, é muito longo, por isso dividi-o em pequenas secções: se quiseres pular algumas partes do texto, por favor, não hesites! As secções são:

  • Introdução: a vida em Londres
  • A vida em Lion
  • O edifício
  • O quarto
  • A cozinha
  • A casa-de-banho
  • Coisas a comprar
  • Conclusão: opinião sobre o alojamento

Introdução: a vida em Londres

As residências universitárias, ou 'halls', como dizem os ingleses, não são iguais às de França. As diferenças são imensas entre o alojamento inglês e o francês, mas nunca vi o grau da diferença.

Em Inglaterra, morar numa residência universitária é uma das coisas que aparece em todas as listas de verificação de um estudante britânico. Isso deve-se aos benefícios sociais que as residências oferecem especialmente aos jovens no primeiro ano na universidade, porque lá eles têm a oportunidade de conhecer outros estudantes na mesma situação com os quais podem desfrutar de aventuras na semana de 'Freshers', onde há muitos eventos sociais, especialmente à noite.

Mas essa experiência foi algo que eu perdi no meu primeiro ano porque tinha um colega de quarto. No entanto, aproveitei essa oportunidade no segundo ano, quando estava no campus Mount Clare, um lugar para alunos do segundo e terceiro ano.

Entre os estudantes da Universidade Roehampton, o Mount Claire não tinha uma boa reputação. Eu ouvi histórias de pessoas que encontraram ninhos de aranhas nas cortinas e cogumelos a crescer no chuveiro. A ligação à internet era um pouco fraca, mas eu não tive nenhum problema e, aparentemente, de acordo com algumas pessoas, os cortes de energia não eram incomuns.

As cozinhas eram pequenas e apertadas e havia sempre pelo menos um ladrão de alimentos porque partilhávamos os frigoríficos. As superfícies da cozinha não eram limpas durante muito tempo e o empregado de limpeza só vinha duas vezes por semana. Lembro-me que os fornos se tornaram um incómodo porque estavam a começar a cheirar a gordura queimada que se agarrava ao cabelo e às roupas. O cheiro não desaparecia e a única solução era tomar banho ou lavar as roupas. O facto de ser impossível abrir totalmente as janelas da cozinha não ajudou muito. Eu partilhei um duche com dez outras pessoas. Ninguém usava o duche e o chuveiro não funcionava.

Eu gostei do tamanho dos quartos, mas não tinham muita luz por causa da janela ser pequena. Outro aborrecimento foi o facto de ser muito fácil ficar trancado do lado de fora (cada vez que fechávamos a porta sem a chave). Não vou esquecer a primeira vez para mim, uma sexta-feira às quatro horas, porque tive que esperar três horas antes da chegada do segurança. Alguém poderia pensar que aprendi com os meus erros, mas infelizmente esse evento não foi o último.

Mount Clare tem os seus problemas, mas não eram nada comparando com os que eu conheceria em Lion.

A vida em Lion

Eu sabia que havia diferenças entre as residências em Inglaterra e as francesas, mas eu não imaginava que fossem assim tão grandes. No começo fiquei um pouco chocada.

Eu escolhi o quarto mais barato. Vou falar sobre a minha experiência neste quarto e residência até agora. Se eu tiver mais coisas a dizer, não hesitarei em acrescentar a este artigo. Ainda faltam sete meses para regressar a Londres e muitas coisas podem acontecer...

O edifício

Os edifícios têm quatro andares para os habitantes, sem incluir o piso térreo, onde há caixas de correio. Podemos adicionar um bloqueio para evitar roubos, mas acho que ter um não é essencial, especialmente para mim, porque eu não recebo correio, excepto panfletos.

Cada andar tem cerca de trinta ou mais quartos, mas este número pode ser diferente dependendo do edifício. Existem duas cozinhas e duas casas-de-banho por cada andar. Eu falarei sobre isso depois.

Em todos os prédios, tens acesso a wi-fi. Para a internet pagamos 6 euros por mês, é bem barato mas às vezes a conexão pode ser bastante demorada e, por causa disso, as conversas no Facebook, Skype, carregar fotos no Facebook serem bastante difíceis durante as horas de pico. Os vídeos são os piores, às vezes temos de atualizar constantemente a página.

Em várias ocasiões, a conexão é completamente perdida e ficamos sem internet, normalmente por uma ou duas horas, mas a última vez que todos os alunos não tiveram acesso a wi-fi demorou quase vinte e duas horas. A Internet pode ser incrivelmente frustrante na maior parte do tempo, para dizer o mínimo.

Outro aborrecimento é a eletricidade. Em três meses, tivemos alguns cortes de energia. Eu não estava preparada na primeira vez e tive que usar a pequena luz do meu telemóvel. Ouvimos o som fraco de um alarme, então não tínhamos a certeza se teríamos que evacuar o prédio e onde teríamos que ir em caso de incêndio ou emergência. Não tenho a certeza do som do alarme de incêndio. Pelo contrário, em Inglaterra, a segurança do campus preparou-nos através de testes de evacuação às sete da manhã, uma semana após o início do semestre. Após o teste, havia sempre alguém que estava a utilizar o forno, a tentar fumar nos quartos ou a pôr muito desodorizante.

O quarto

Eu gosto do tamanho dos quartos, tem muito espaço para todas as minhas coisas. As paredes são brancas e o chão é azul. A cama está equipada com um colchão de espuma que é confortável o suficiente. Mudei a mesa e o armário, agora estão amarrados, e eu tenho mais espaço quando uso a mesa. No armário há espaços para as minhas roupas e para as coisas de cozinha. O frigorífico foi uma surpresa, então agora não tenho medo de um ladrão de comida, porque seria muito difícil encontrar a pessoa responsável com trinta pessoas por andar. Há também outro armário onde podes pendurar roupas. O armário fica à frente duma pequena pia. Há uma prateleira também, mas para mim é inútil porque está fora do meu alcance, mesmo se subir uma cadeira!

Sei que os móveis são diferentes consoante os edifícios. Alguns têm mais espaço para livros, outros têm uma cabeceira. Eu gosto do meu quarto, mas este por vezes era frio, mas resolvi o problema com um radiador mecânico Carrefour que me custou dez euros.

A vida em Lion - Residência André Allix: O quarto e o edifício

Quando entrei no quarto pela primeira vez, devo admitir que algumas partes não estavam limpas. O armário estava pegajoso e uma borda sob a janela estava completamente suja. Eu mesma tive que limpá-lo antes de fazer outras coisas.

No geral, gosto do meu quarto, apesar dos seus pequenos problemas, porque eu amo a vista das janelas, especialmente à noite, quando posso ver os restos do pôr do sol que deixa um céu brilhante e bonito.

A cozinha

A cozinha é muito pequena e incrivelmente simples. Há dois microondas no meu andar, um não funciona. Felizmente para mim, é o que está mais alto!

A pia e o antigo fogão ocupam a única mesa, então não há muito espaço para preparar as refeições, temos usar o escorredor de pratos. No fogão há apenas espaço para duas panelas, por isso às vezes é difícil cozinhar.

A cozinha não tem forno ou congelador, então não podes comer ou comprar coisas como gelados. Não tem alarme de segurança para evitar incêndios.

Um empregado de limpeza limpa a cozinha todos os dias, excepto aos finais de semana, e normalmente a cozinha fica em boas condições, mas no fim de semana podes notar alguma sujeira. Ao contrário das minhas experiências em Roehampton, nós não deixamos os pratos na pia, lavamo-los imediatamente, então não há problema de as pessoas não lavarem a louça, deixando-a na cozinha cinco meses e mais, esperando a ajuda de fadas!

Eu sei que outras cozinhas noutros edifícios têm mesas onde podes comer, mas aqui não. A sala está vazia, embora eu achasse que a cozinha iria ser um lugar mais sociável.

A casa-de-banho

Um piso tem duas casas-de-banho ou três casas-de-banho e quatro chuveiros. Eu nunca encontrei todos os chuveiros ocupados quando eu queria tomar banho. Mas eu não posso dizer o mesmo em relação à casa-de-banho. Apesar de não estarem ocupados, às vezes os encontrei em péssimas condições, especialmente durante o fim de semana.

O estado dos chuveiros é melhor, mas às vezes podes partilhar o banho com uma ou duas mariposas que chegam durante a noite. Eu utilizo sempre chinelos porque existem todos os tipos de coisas, especialmente cabelos na casa-de-banho.

Eu tenho de dizer mais sobre a manutenção aqui, porque parece que aqui tens de esperar muito tempo para alguém consertar algo que não funciona nesta residência, como o microondas na cozinha, ainda avariado. Numa das casas-de-banho, a que que está mais longe do meu quarto, não dá para fechar a porta, mas para mim não é um grande problema, porque eu não a uso, apenas quando eu precisar, por exemplo, se o empregado de limpeza estiver a limpar outro. A que eu utilizo não tem problemas.

No primeiro dia em que comecei a morar aqui, a luz numa das casas-de-banho não estava a funcionar. Não é muito agradável e prático usar a sanita quando está tudo escuro. Mais recentemente, tornou-se mais difícil usar o trinco num outro compartimento. É muito fácil virar para a esquerda para fechar a porta, mas para reabrir a porta acontece algumas vezes o mecanismo ficar preso. Descobri a falha numa quinta-feira, no início da manhã, quando eu estava com pressa porque tinha aulas. Um pouco mais tarde reuni todas as minhas forças e consegui libertar-me, ninguém estava lá para me ajudar! Então, agora, sou ainda mais cautelosa: no outro dia esqueci-me que nós nunca deveríamos fechar a porta completamente, e dessa vez foi pior porque eu precisava usar um pouco mais da minha força! Não creio que resolveremos os problemas brevemente, mesmo que já tenhamos contado às secretárias do escritório!

Coisas a comprar

Eu precisava de comprar algumas coisas que não tinha e que considero essenciais para viver aqui. Estas dicas podem mudar de acordo com as tuas preferências pessoais:

  • Uma lâmpada
  • Uma chaleira
  • Cama
  • Um extensor
  • Radiador elétrico
  • Velas

Conclusão: opinião sobre o alojamento

Eu gosto de muitas coisas na minha vida aqui na Residência André Allix, como o facto de poder usar velas sem o risco de acionar o alarme de incêndio. Eu gosto do tamanho do meu quarto e da sua claridade. Gosto de que a cozinha esteja limpa quase todos os dias e geralmente está em boas condições. Eu amo ter um frigorífico no meu quarto. Mas agora, tendo passado alguns meses aqui, agradeço mais o lugar onde moro em Londres.

As pessoas estão prontas para caluniar o Monte Clare, mas eu acredito fortemente que tem muitos aspetos positivos. Faltam-me muitas coisas como um forno ou congelador e espaço para preparar as refeições. Eu adorava ver os meus amigos na cozinha, as piadas e sinto falta das nossas risadas.

Em Inglaterra, com menos pessoas num corredor, somos obrigados a falar uns com os outros e tornam-se uma família quando estamos na universidade, mas aqui toda gente fica consigo mesma, então às vezes é difícil, mas felizmente há uma menina de Roehampton que está comigo.

Havia muito espaço para socializar onde eu morava. Em cada apartamento havia uma pequena sala comum, onde nos reuníamos antes de sairmos à noite. Mas depois de algumas semanas éramos demais para esses quartos e começámos a usar a grande sala comum perto da receção. Ao lado desta sala havia a lavandaria que eu usava sem problemas, e também a sala de informática com impressoras. Poderíamos dizer que os atrasos estavam a aproximar-se porque era muito difícil encontrar um computador livre que funcionasse.

Apesar dos problemas com a internet, nunca tive outros problemas o ano todo. Não posso comparar à internet aqui e é apenas o meu terceiro mês.

Tenho saudades do aquecimento e do Richmond Park, que era como um jardim para mim. Eu nunca pensei dizer isto, mas eu sinto falta dele também, do pequeno gato preto que morava no campus. Chamava-se Magick, Geoffrey ou muitas vezes Lúcifer por causa da sua natureza selvagem e hostil. É melhor não tocar o gato, porque aprendi que é perigoso!

O facto de não estar em casa, sem as coisas e pessoas que eu amo, certamente relativiza tudo. Aprendemos a amar muitas coisas que nunca pensei adorar. Para outra pessoa, essas coisas podem parecer estúpidas e insignificantes, mas às vezes é a menor coisa que me faz sorrir, como ver uma marca inglesa ou algo estúpido.

Assim, é importante não pensar nas coisas que não posso ter porque estão a pelo menos novecentas milhas de mim em Inglaterra. E sim, sei que usamos os quilómetros aqui, mas não consigo fazer a transformação. Eu não sou muito boa em matemática! Voltando ao assunto que nos preocupa, devo aprender a amar as coisas ao meu redor aqui em Lion, embora seja difícil. Acredito que tenho de ver o lado bom. O ano Erasmus é uma oportunidade incrível para conheceres pessoas do mundo todo e poderes conhecer a cultura de um país diferente. É fantástico! E seria um grande desperdício de tempo e dinheiro se não estivéssemos prontos para abraçar o país.

A vida em Lion - Residência André Allix: O quarto e o edifício

Fonte


Galeria de fotos



Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!