Advertise here

Viajar para Budapeste

Tenho a certeza de que neste ponto já todos vocês sabem que sou fã da "Qatar Airways", na minha opinião eles têm voos requintados e viajar com eles não poderia ser mais tranquilo. Por isso claro que escolhi a companhia aérea Qatar para viajar até Budapeste. Viajei para Budapeste a partir do Teerão e como não havia conexão direta tivemos de fazer Teerão - Doha, e depois, Doha - Budapeste. O nosso voo era às 5 da manhã, o que foi bastante exaustivo. Tínhamos uma enorme quantidade de bagagem e algum do peso tivemos de deixar no aeroporto. De qualquer modo, a nossa escala foi só de 2 horas, por isso ao chegarmos ao aeroporto internacional de Hamad não tivemos muito tempo para relaxar. Tivemos de correr até ao portão, porque pensámos que íamos perder o avião. O segurança perguntou-nos algumas questões, como por exemplo, a razão de estarmos a viajar para Budapeste, pergunta essa que tivemos todo o gosto de responder.

Viajar para Budapeste!

(Aeroporto Internacional de Hamad, provavelmente o aeroporto, a nível estético, mais bonito do mundo inteiro. )

Fonte.

O mais estranho foi que a porta de embarque em Budapeste estava bastante longe e era a pior de sempre. Primeiro passámos pela porta de embarque, depois entrámos num autocarro (shuttle), percorremos todo o aeroporto, dando umas vinte voltas e depois chegámos ao avião. O mesmo não tinha uma ponte de embarque, por isso tivemos de subir por umas escadas. Eu tinha duas mochilas e um pequeno trólei, por isso imaginem o quão difícil foi. O avião era velho e não tinha tomadas nem monitores, e os acentos eram muito inconfortáveis. De repente já não parecia a companhia aérea da Qatar, e sim uma companhia mais comercial. Mas sobrevivemos ao voo, que demorou mais ou menos umas seis horas.

O aeroporto de Budapeste é conhecido como Ferenc Liszt International Airport, é pequeno, mas conveniente. Primeiro tivemos de ir à emigração. Normalmente não sou fã das filas de emigração em outros países, demoram imenso tempo, e é necessário demasiados documentos e no geral a atmosfera não é muito amigável. Mas aqui fiquei muito surpreendida, os responsáveis eram muito simpáticos, falavam Inglês moderadamente bem e até me desejaram uma ótima estadia. Já estava a adorar Budapeste, desde o primeiro momento em que tinha pisado o país.

Viajar para Budapeste!

(Uma fotografia do aeroporto de Budapeste. )

Fonte.

Agora vou falar de algumas dicas em relação ao aeroporto, coisas que gostaria que me tivessem dito antes de vir, e que ajudar-te-ão a chegar até à cidade.

Dicas:

#1

Não troques dinheiro no aeroporto. Sim, eu sei que isto é algo simples e que toda a gente sabe que os aeroportos têm taxas de cambio péssimas. Mas no aeroporto de Budapeste é outro nível, nem podes imaginar. A moeda húngara chama-se forints, e 1 euro é cerca de 300 forints, e 1 dólar é 250 forints. Eu queria trocar 100 dólares, que é o equivalente a 25. 000 forints, mas no aeroporto eles deram-me 20. 000 forints. Imaginem o dinheiro que não perdi, 5. 000 forints é muito dinheiro, com essa quantia podes comprar uma camisola na Bershka ou comprar uma refeição para duas pessoas num restaurante barato. Uma alternativa muito melhor é já ter algum dinheiro trocado antes. Não cometam o mesmo erro que nós cometemos. Eu precisava de trocar o dinheiro porque era necessário pagar o transporte do aeroporto para a cidade, se não fosse por isso nem tinha trocado.

Viajar para Budapeste!

(Uma das lojas de cambio de dinheiro no aeroporto. )

Fonte.

#2

Não comprem nada no aeroporto. Eu sei que isto são demasiados avisos, e não tem nada de mal em comprar algo no aeroporto, o único problema é que tudo é muito mais caro do que na cidade, especialmente a comida e a bebida. Eu fui ao supermercado do aeroporto para comprar água mineral, e uma pequena garrafa de água custou-me 450 forints e na cidade a mesma garrafa custar-me-ia 70 forints. Quantas vezes mais caro não é isso? São contas que nem eu consigo fazer. Por isso se não tiveres sede ou fome a sério, mais vale não comprares nada. Pensa na tua conta bancária.

#3 Comprar um cartão SIM:

Antes de comprar um cartão SIM em Budapeste, tens de te perguntar duas coisas: Quanto tempo vais ficar em Budapeste? E o quão importante é ter um cartão SIM, neste preciso momento, ou se podes esperar até chegares à cidade? Mas antes de responder a essas perguntas é importante que saibas que a Vodafone tem uma pequena loja no aeroporto, podes perguntar onde fica no balcão de informação e eles ir-te-ão dizer onde está localizada. Eu fiquei na fila de espera cerca de 20 minutos, sinceramente foi muito cansativo, especialmente depois de um voo tão longo. Quando falei com os assistentes eles perguntaram-me para quanto tempo queria o cartão e deram-me três opções: Primeira Opção: um cartão SIM com 1 GB de 3G (internet) + 100 minutos de chamadas gratuitas + 25 minutos de chamadas internacionais; a Segunda Opção: um cartão SIM com 3 GB de internet e a mesma quantidade de chamadas nacionais e internacionais; em relação à Terceira Opção: um cartão SIM com 8 GB de 3G e com diferentes opções de chamada, das quais não me recordo (desculpem mas é que neste momento estava mesmo exausta). De qualquer forma a primeira opção custava 29 euros, ou seja, 9. 000 forints, o que era bastante para pagar por um cartão SIM, mas mesmo assim acabei por optar por essa. As opções podem variar, dependendo do tempo de expiração do cartão SIM.

Viajar para Budapeste!

Fonte.

Na minha opinião a Vodafone é perfeita para termos de curto prazo, por exemplo, no caso de estares a planear uma visita a Budapeste e que ainda não tenhas nenhum cartão SIM, podes comprar um no aeroporto e irás ficar satisfeito(a) com a tua escolha. O problema é com os contratos a longo prazo, porque eu já estou a usar a Vodafone a alguns meses, e há muitos amigos meus que também usam, e praticamente toda a gente se queixa. Dizem que é extremamente caro. Depois do primeiro mês, os 300 MB de internet passam a custar 500 forints, e as chamadas também são mais caras. O meu conselho no caso de precisares de um cartão SIM para um longo período de tempo, aconselho a escolheres outra servidora, como por exemplo a Telecom (mais tarde falarei melhor sobre este tópico).

A secção das dicas acabou por ficar mais longa do que planeava, mas é porque quero que aprendam com as minhas experiências, de modo a que as vossas sejam ainda melhores.

De qualquer forma, como é que podemos ir desde o aeroporto até à cidade? Muito fácil, existem duas opções: táxis do aeroporto ou de autocarro. Ambas as opções são convenientes e seguras, mas vamos falar de cada uma mais especificamente.

O serviço de táxi no aeroporto.

Vou assumir desde já que vocês não vão viajar para Budapeste com tanta bagagem como eu; afinal de contas vocês não estão a planear viver aqui, mas no caso de estarem avisem-me (isso seria fantástico), enfim devia ser considerada a rainha de me perder do tópico principal. Regressando ao tópico, os táxis do aeroporto estão bem equipados e são bem modernos. A maioria dos condutores não fala Inglês, mas isso não é um problema assim tão grande. Isso deve-se ao facto de teres de pagar pela viagem antes de sequer entrar, porque, basicamente, existe no aeroporto um quiosque onde podes ir para pedir um táxi e apenas tens de dizer o destino final e eles calculam o custo. Mas não te esqueças de que os táxis são caros, nós pagámos 6. 000 forints (20 euros) para chegar à cidade (distrito 9), e em média a viagem custa entre 5. 000 a 8. 000 forints, dependendo do teu destino.

Agora vamos falar sobre a outra opção.

Autocarro "shuttle" do aeroporto.

Eu não fui de autocarro, mas toda a gente sempre me diz que este é o melhor meio de transporte para ir e vir do aeroporto, porque é barato, conveniente e mais uma vez muito barato. Então vamos falar de como podes usar este meio de transporte de um modo mais conveniente. O autocarro mais conhecido é o 200E. Não tenho a certeza em relação a outros autocarros, ou da rota que eles fazem, por isso não vou falar de mais nenhum para além deste. O 200E é extremamente conhecido e praticamente toda a gente o usa para ir do aeroporto até ao centro da cidade, até mesmo as pessoas de Budapeste, e sem dúvida alguma também os estudantes! O autocarro 200E parte desde Deak Ferenc ter, sim regressamos outra vez à mesma rua, conseguem imaginar? Os autocarros partem a cada 30 minutos, desde as 4 da manhã até às 23:30 horas, todos os dias. Os horários são muito bons e podes apanhar o autocarro a qualquer hora do dia. Fazendo o caminho ao contrário, ou seja, desde o aeroporto até ao centro da cidade, há autocarros desde as 5 da manhã até à meia noite e meia. Por isso basicamente, mais uma vez, tens autocarros a toda a hora. Outra coisa importante é que irás precisar é de comprar o bilhete, que custa 900 forints, bastante barato não? Podes comprá-lo numa das máquinas que estão ao pé da paragem ou perguntar ao motorista se podes pagar no autocarro. Uma outra coisa a não esquecer é que deves sempre ver o horário dos autocarros, porque os horários podem mudar a qualquer momento. Não estou a dizer que não é um sistema confiável, mas é melhor ter sempre a certeza. Podes ver os horários aqui.

Viajar para Budapeste!

(Os passageiros, no aeroporto, a entrarem no autocarro. )

Fonte.

Espero que tenham achado este artigo útil. Prometo que continuarei a escrever se os meus estudos assim o permitirem. (Sabem que gosto sempre de me gabar um pouco sobre este assunto. ) Até ao próximo artigo.

Saudações!


Galeria de fotos



Content available in other languages

Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!

Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!