Advertise here

Sentimentos de viver sozinho

Nesta etapa da minha vida e já com os meus 25 anos vim pela primeira vez viver sozinho. Podia ter começado já em Portugal mas a proximidade com a família e a falta de meios económicos não me tinham permitido ainda. Na verdade, até era uma estupidez fazer isso. Família significa união e sair de casa para ir viver para uns quilómetros mais ao lado era algo que deixaria no mínimo os meus pais tristes e eu com um enorme vazio por não estar no conforto que sempre foi (e é) o meu lar.

Portanto, se tinha que tomar a decisão de viver sozinho decidi fazê-lo longe de quem muito queria na minha vida, mas era a única maneira de o fazer porque sabia que assim não havia como voltar atrás a curto prazo. A minha opção foi fazer Erasmus para uma cidade que já conheço bastante bem e para poder também estar mais perto da minha namorada que é valenciana. Não é por estar perto dela que não sinto a diferença de estar a morar sozinho e com as responsabilidades que isso acarreta. Ir às compras, manter a casa limpa e ordenada (tal como eu gosto), fazer as comidinhas, estudar, conviver com as pessoas que também moram aqui em casa...gerir isto tudo assim de repente pode ser complicado mas posso dizer que os meus pais fizeram um bom trabalho comigo e estou a desenrascar-me bastante bem. Também nunca andei aí a dormir a pensar que a vida era fácil, sempre procurei informação útil e nos locais certos e digo-vos já, na televisão não se aprende nada. Acho que é o que mais gosto em viver sozinho, não ter que ouvir a televisão e todas as "bombas" que lançam para indignar e revoltar o povo. Um conselho: vivam a vida e deixem as redes sociais e os media para canto, só se querem apoderar de nós e do nosso dinheiro. Mais de metade das notícias que passam poderíamos muito bem viver sem elas mas continuamos a dispender do nosso tempo a olhar para algo que eu chamo de "autêntica porcaria".
Às vezes gostava de chegar a casa e "sentar e comer" mas também me faz bem saber olhar para o que tenho no frigorífico ou no dispenseiro e cozinhar a partir daí ou pensar algumas horas à frente caso seja necessário descongelar alguma coisa. Ou quando vou às compras imaginar que refeições quero fazer e o que gosto e não gosto, o que me faz bem ao corpo e mal à carteira (normalmente estes dois não combinam). É outro exercício mental que não fazia e digo-vos: aos 25 anos é a altura certa de o começar a fazer, já está na hora de ser um verdadeiro homem, daqueles que faz de tudo e tudo ao mesmo tempo e mesmo assim é uma máquina! Há poucos desses, eu quero ser um assim ;)
Relativamente aos "compañeros de piso"...são malta porreira, muito sociáveis e educados, limpam o que sujam, para já nada a apontar, vamos lá ver o que sai com o passar do tempo. Aliás, há aqui uma menina que até me dá chocolates e coisas que tem no frigorífico mas não lhe apetece comer ahahahah e eu só digo que não uma vez mas é só para parecer modesto porque já sei que vai oferecer a segunda e aí já lhe arranco o que tiver nas mãos :D Não sou esfomeado mas gosto de comer!!!
Apesar de ter o Mercadona a 1 minuto de minha casa (sim, há supermercados em todas as esquinas) ainda só lá fui duas vezes o que prova que já consigo ter algum pensamento futurista no que toca às refeições e "snacks" que adoro fazer :)
Outra coisa porreira de viver sozinho é que posso viver segundo os meus ideais de sustentabilidade como reciclar, poupar água e electricidade (ou pelo menos não gastá-la sem necessidade) ir de bicicleta para todo o lado (porque a cidade também o permite)...e lentamente vou fazendo com que os meus colegas façam o mesmo mas sem que se apercebam disso, não quero ser rude obviamente.
Mas claro que se sente falta dos carinhos, dos amigos, do meu jardim (onde passava horas a fazer o que me dava na telha), do meu cão. A minha casa em Portugal tem muita privacidade, não é que aqui me falte isso mas no final tenho sempre que ter algum cuidado para não ferir susceptibilidades. Por exemplo, no outro dia estava a fazer exercício no terraço cá de casa e apanhei um vizinho a tirar-me uma fotografia. Não vi mal nisso, aliás, até o devia ter chamado para tirar outra porque secalhar nem fiquei muito bem, mas é a tal falta de privacidade. Por outro lado até acaba por ser bom esta "obrigação" de me cruzar com vizinhos, sempre alargo o meu círculo de conhecidos.

Amanhã tento postar algumas fotos aqui de casa para que vocês a conheçam.
Não me queixo, gosto muito de estar aqui e há momentos na nossa vida em que temos que escolher quem queremos ser...e eu sou uma pessoa que gosta de contar histórias! Não deixem de viver a vossa :)




Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!