Advertise here

Bicicletas em Uppsala: como arranjar uma?

Assim que cheguei a Uppsala, foi fácil perceber só de sair da estação de comboios que a cidade claramente estava feita para que andássemos de bicicleta.

Estacionamento de bicicletas ao pé da estação de comboios de Uppsala

bicicletas-uppsala-arranjar-f72222326285

Para além de existir uma quantidade gigante de bicicletas espalhadas pela cidade, também se via ao andar pelas ruas que existiam sítios para as estacionar e caminhos por onde circular que eram designados apenas para este meio de transporte.

Da Orientation Week, a semana especial preparada para os estudantes internacionais que vos falei na publicação anterior, obtive um mapa com os vários caminhos de bicicletas feitos em toda a cidade de modo a que pudéssemos circular.

Neste mapa, podia-se ver como de facto era vantajoso ter uma bicicleta nesta cidade. Desta forma, tentei informar-me sobre como a poderia obter e também qual seria a bicicleta mais indicada para a cidade e para mim.

Passo 1 – Onde comprar?

Comecei por perceber que existiam 2 formas de obtermos uma bicicleta em Uppsala: comprado uma nova ou comprando em segunda mão.

Opção 1: comprar uma bicicleta nova

Para fazer isso necessitaria de ir a uma das muitas lojas de rua que havia na cidade, mas neste caso as bicicletas teriam o mesmo preço que uma bicicleta normal em qualquer lado. Para um estudante que apenas a iria usar um semestre e depois iria ter que a vender no final, achei que não faria muito sentido esta opção. É claro que mais afastado da cidade teríamos bicicletas novas em folha e com preços ligeiramente mais reduzidos, ainda assim preferi optar pela segunda opção.

Opção 2: comprar em segunda mão

Neste caso, poderia tanto recorrer a uma loja da cidade, pois estas tanto vendem como compram bicicletas a estudantes e, portanto, teriam bicicletas em segunda mão para venderem; como poderia tentar adquirir uma através de algum estudante que a quisesse vender antes de se ir embora de Uppsala.

Optando por esta última alternativa e recorrendo a grupos de compra e venda que existiam no Facebook, que acabei por descobrir ou por acaso ou perguntando a várias pessoas, tive então acesso a um conjunto de vários modelos de bicicletas, disponíveis para todos gostos e feitios e aos mais variados (e reduzidos) preços.

Grupo de compra e venda de artigos em Uppsala

bicicletas-uppsala-arranjar-edc2bf5c7bba

Passo 2 – Como escolher?

Desde nova que aprendera a andar de bicicleta, mas já lá iam anos desde a última vez que andara nela. A que eu estava acostumada a usar era um tipo de bicicleta todo o terreno, cheia de mudanças e que me permitia andar por todo o lado com alguma segurança.

Em Uppsala... seria o mesmo tipo, ou não? A resposta depende.

Do que vi e soube, muitos estudantes acabam por arranjar uma bicicleta como a que eu estava habituada. No entanto, ao falar com uma colega do laboratório onde trabalhava, descobri que como em Uppsala não existem muitas zonas com subidas e o piso é regular, possuindo muitas estradas próprias para andarmos, poderia optar por arranjar uma bicicleta de cidade. Estas bicicletas não possuem mudanças e têm normalmente um travam de mão e outro nos pedais (sim, nos pedais! Nunca ouvira falar de tal coisa até aquele dia).

A decisão estava difícil de se fazer, até porque para além do tipo de bicicleta a escolher, também tinha que ter em conta o preço a que estavam a vender as bicicletas (variava entre 50 a 120 euros) e se estas serviriam para mim, dada a altura que tenho (eu meço 1.62m).

A altura faz sentido ter em conta, agora, o que podem não saber ou se aperceberem é que por muito bom que fosse comprar uma bicicleta por 50 ou 70 euros para um semestre, normalmente estas já seriam bicicletas muito usadas e muitas vezes em mau estado.

Assim, nem todas as opções disponíveis eram boas escolhas e poderia até ter escolhido uma bicicleta por esse preço, caso me certificasse primeiro, ao me encontrar com o vendedor da mesma, que esta estava em condições de ser usada.

Mas o que me fez mesmo decidir que bicicleta escolher foi quando, ao andar a ver a tal página de vendas do Facebook, me deparei com a foto desta bicicleta:

A bicicleta de cidade que acabei por comprar, deu-me jeito tanto na primavera como no inverno

bicicletas-uppsala-arranjar-4edf4fd48642

bicicletas-uppsala-arranjar-4f2db6f3f63c

Escusado será dizer que eu gostei dela logo à primeira vista e achei que regateando com a vendedora conseguiria pelo menos baixá-lo de 100 para 90 euros. O que acabou por acontecer foi ela vender-me a bicicleta com mais uma corneta (adoro aquela corneta), 2 luzes e um cesto pelos tais 100 euros. Fechei negócio e mal pude esperar por ir ver a bicicleta, antes de lhe pagar então este valor.

Passo 3 – Como pagar?

Antes de efetuarem o pagamento devem sempre verificar se a bicicleta é a certa para vocês. Não vão comprar a bicicleta por muito gira que ela seja, ou por mais barata que seja, se não conseguirem travar ou não chegarem aos pedais.

Podem sempre experimentá-la antes pois as pessoas que a estão a vender têm interesse em que vocês fiquem com a bicicleta. Se não gostarem dela podem sempre dizer-lhes que não a querem pela razão que acham (nem que seja por acharem que para o preço que ela tem, não está em condições).

Caso depois de andarem um pouco com ela e sentirem que se vão adaptar bem a ela pretenderem então compra-la deverão combinar com o vendedor como será o modo de pagamento. Tanto podem dizer para transferirem para eles o dinheiro num multibanco mais próximo ou pela net, como optar por que vos tragam ou levantem dinheiro no momento. Também o sítio para se encontrarem com o dito vendedor deverá ser combinado antes de experimentarem a bicicleta e mesmo para o pagamento (caso este seja feito depois e não na altura em que a testaram).

Sem mais para acrescentar, resta me então dizer hejdå (“heydou” – como se lê adeus em sueco) e até ao próximo relato de... mitt äventyr (“mit aventour” – como se lê as minhas aventuras em sueco)!

 


Galeria de fotos


Comentários (0 comentários)


Queres ter o teu próprio blogue Erasmus?

Se estás a viver uma experiência no estrangeiro, és um viajante ávido ou queres dar a conhecer a cidade onde vives... cria o teu próprio blogue e partilha as tuas aventuras!


Você ainda não tem uma conta? Regista-te.

Espera um momento, por favor

A dar à manivela!